EL VERANO – Dicas para náo se derreter em Madri

Durante o mês de julho e agosto, vamos dar algumas diquinhas rápidas das modas e tendências refrescantes que acontecem em Madri durante o veráo europeu.

Consulte no nosso facebook DIARIAMENTE.

Captura de pantalla 2015-07-05 a la(s) 18.13.11

 

 

Os melhores cafés-da-manhã de Madri

Quem conhece a cultura espanhola, já deve ter ouvido isso: “Toma um café-da-manhã de rei, come como um príncipe e janta como um mendigo”.  A fórmula para manter a forma sugere começar o dia com muita energia. Saiba onde estão os cafés com encanto e lugares que você vai se sentir em casa, só faltando o pijama e a cara sem lavar. Há de todos os tipos:modernos, vintage, coloridos, british…Segue a rota matutina para desfrutas de desjejum deliciosos:

Cafetería Polenta (Avenida de Bruselas 56):  Na região da Guindalera esse estabelecimento hipster tem a essência e a decoração com muita madeira, detalhes retrôs e mensagens otimistas nas paredes. Como reza seu lema, é um lugar para “comer, beber, papear e desfrutar”. Experiemente as variedades de napolitanas (é um folhado doce recheado de chocolate ou creme), croissants, torradas e pinchos de tortilla…¡Mmmmmm!


Olive (Conde Duque 24): este pequeno local está em Conde Duque em uma das ruas it de Madri. Sua especialidade são os crepes mas também servem bolos deliciosos, como a tatín, e oferecem uma ampla carta de cafés y chás. Um lugar com elegância que pode também valer para os atrasados que querem fazer um brunch.


C.O.M.E (Calle Ventura Rodríguez 5): próximo a essa rua, muitas outras cafeterias modernas já se estabeleceram. Uma zona também conhecida como para “casual food”. A matéria prima é 100% ecológica e procedente de comercio justo.  É um ótimo plano para sábado, levando um livro para passar mais tempo no local. Tem um espaço para os pequenos brincarem e pintarem.


El Minibar (Cuesta de Santo Domingo 12): este pequeo bar é conhecido pelas festas que organizam a noite que são temáticas y divertidas. O café que servem é bastante tradicional e econômico. Por dois euros você já tem energia suficiente com um café ou chá e bollerías (como eles chamam as massinhas doces que oferecem durante o dia), torradas ou churros.


Juanse Kafé (Calle San Andrés 3): este café está onde antigamente funcionava a farmácia “Laboratorio de Especialidades Juanse”, patrimônio do bairro de Malasaña e de Madrid. Sua fachada chama a atenção pelos azulejos de 1925 com publicidade medicinal da época. Mas hoje já não tem nada a ver com uma farmácia. Recentemente aberto, este agradável e bonito café oferece além de produtos típicos de Navarra e do País Vasco, três opções de café: o clássico, o de jamón ou de fibras.


Thousand Cups (Glorieta de Quevedo 5, ): “trata-se da primeira rede de coffe shop de tercera geração da Espanha”, assim eles mesmos se definem. Essa terceira terceira onda engloba quem entende de café como um bem gastronômico e culinário. Não é todo mundo que quer ter sua manhã associada a um café medíocre. Aqui servem um café de qualidade preparado por baristas e desjejum ou brunchs cheios de energia, com torradas feitas de massa madre, sanduíches, ovos mexidos ou tortilha.


Wanda Café Optimista (María de Molina 1): sua decoração tem a ver com o seu nome e irradia otimismo com uma estética tropical, colorida e de vanguarda. Um bálsamo de tranquilidade para se refugiar no caos da cidade e sair com um sorriso graças aos ótimos cafés e a carta cheia de wraps, sanduíches, sobremesas…

Os clássicos que sempre agradam

Mamá framboise (Calle Fernando VI): já falamos muito deles aqui.


Celicioso (Calle Hortaleza 3): tortas, bolos, cupcakes, cookies, pães especiais…e tudo SEM GLUTÉN. Perfeitos para os celíacos que estão de passeio por Madri. Também há opções tradicionais como o chocolate com churros ou salgados como as tostas.


Café Mür (Plaza Cristino Martos 2): este coffee shop de estética british é especializado em bolos - o de cenoura merece menção especial-  e está na região de Conde Duque. Cada café está pensado para os gostos especiais: o tradicional, light, espanhol, guloso, americano, urbano, francês, campestre ou o full english breakfast. Em épocas ensolaradas, aproveite a terraça.


Fonte:11870

As opções da Calle Ponzano

Se você é fã de instagram, busque o hashtag #ponzaning.

Essa é a forma divertida como os madrilenhos nomeiam o ato de passear, comer e beber bem na Calle Ponzano no coração castiço da cidade.

No bairro de Chamberí, a rua alberga muitas opções de restaurantes e bares, alguns deles com muita evidência e provocando um efeito hipster sem igual. Segue abaixo algumas opções que valem à pena.

Sala de Despiece

É o lugar da moda e o motivo é óbvio, uma vez que você entra lá (primeira tarefa difícil). Tudo é diferente, dos garçons (segunda tarefa difícil: parar de prestar atenção neles) ao cardápio. Não espere mesas e comodidade: tudo acontece no balcão e há muita gente. O nome e o local fazem lembrar uma cãmara de frigorífico com caixas de isopor no teto. Os pratos têm um toque de antes e depois. No nosso caso, provamos o Flan de Queso con Cajita de Frutos del Bosque. Por um lado recebemos uma caixinha (mesmo) com frutas frescas vermelhas e por outro lado, recebemos um potinho com o aparente flan e outro saquinho com bolinhas. Nos olhamos por alguns segundos, até que o exótico garçom que me lembrava o Marcelo Tas na época do Professor Tiburcio, disse que estávamos fazendo tudo errado. Em um toque de ira, verteu os dois potinhos o de vidro com o flan e o de plástico com as frutas no papel de embalar. A mistura foi bonita, impulsiva e deliciosa. Em outras palavras, Sala de Despiece não é um restaurante ou bar, é uma experiência.

IMG_20150531_202040IMG_20150531_202739

A cerveja artesanal La Virgen é muito boa.

IMG_20150531_201930

Nosso antes e depois sobre a intervenção da sobremesa.

Muta Bar

O Muta Bar é criação de Javier Bonet, o mesmo chef da Sala de Despiece. Gostei menos dessa opção, mas há que reconhecer que a ideia e o local também dão o que falar. O espaço tem uma cozinha, três barras e várias mesas que remetem a caixas e que a versatilidade remete a ideia original de ser mutante. O cardápio e o conceito mudam a cada temporada. O bar me chamou a atenção quando cozinha comida brasileira. Não pude provar. Minha primeira experiência foi o Muta Norte. Não sei se foi esse contexto que me animou mesmo (sou uma apaixonada pela comida do norte da Espanha) e acho que fui um pouco criteriosa com os ingredientes e opções.

 

IMG_20150531_202823IMG_20150531_183629_1IMG_20150531_183549IMG_20150531_183459

La contraseña

Muito mais madrilenho moderno, mas com um jardim estonteante, o La Contraseña convida a fugir do barulho da rua e esconder-se nesse jardim, apreciando um bom vinho. Em Madri, às vezes é difícil encontrar lugares silenciosos para comer e esse ganhou pontos por isso. Os pasteizinhos de maçã com sorvete são coisas de outro mundo. Vale a visita.

IMG_20150531_202145

Também me indicaram o Taberna Pedraza e o Lambuzo, mas ainda não pude provar.

 

5 restaurantes mega românticos em Madri

Para mim, Madri é a cidade mais romântica do universo. Isso mesmo, terráqueos. Paris é comercialmente romântica! Madri é romântica sem querer, querendo. Então, anote os 5 restaurantes mais românticos da cidade, sem gastar muito, para impressionar, esquecer do que está lá fora e se apaixonar. Quatro das dicas são do pessoal do Madrid Confidential e uma, minha.

Vinoteca Moratín 

Ambiente íntimo, romântica luz de velas, um bom vinho… e um cardápio cheinho de delícias como os alho-porós confeitados e o steak tartare.

Calle Moratín, 36 (Metro Antón Martín). Preços por pessoa: entre 25 e 30 euros.

Dabbawala

Para os românticos com estilo aventureiro: uma noite colonial com plantas e vigas de madeira. Ambiente aconchegante, com jazz de fundo e um cardápio de meias porções se querem provar de tudo um pouco.

Calle del Españoleto, 10 (Metro Alonso Martínez). Preços por pessoa: Meias porções entorno de 15 euros e menú degustação: 45 euros por pessoa.

Atelier Belge

Nas mesinhas, vocês se sentirão dentro do filme a Dama e o Vagabundo. Só que nada de espaguetes. Apenas deliciosos pratos belgas para combinar com cervejas belgas.

Calle Martín de los Heros, 36 (Metro Ventura Rodríguez). Preços por pessoa: aproximadamente 35 euros.

Ganz

Um restaurante elegante e distinto para essas ocasiões em que se deseja algo mais requintado sem afetar o bolso. Ganz tem tudo: decoração nota 10, comida simples mas maravilhosa, música agradável e atendimento altamente atencioso.

Calle Almadén, 9 (Metro Atocha/Antón Martín). Preços por pessoa: aproximadamente 25 euros.

Café Oliver

Lembra muito um bistrô francês e no seu cardápio, além das opções mais inclinadas a cozinha parisiense, você pode optar pelas opções gourmet cotidianas, como o caso do hamburguer, tudo a luz de velas, claro.

Calle Ventura de la Vega, 11 (Metro Sevilla). Preços por pessoa: aproximadamente 30 euros.

O melhor restaurante baratinho de Madri

Eu poderia citar vários restaurantes bons e baratos em Madri. Mas gosto de indicar aqueles mais autênticos. Hoje a dica é para quem quer comer por muito pouco!

Quando cheguei em Madri, meu primeiro endereço (durante 1,5 ano) foi o Bairro das Letras e é por isso que tenho um especial carinho por ele.

O restaurante Farfalla era o que eu mais frequentava! E o motivo era simples: comida deliciosa, preço super acessível e atenção latina.

Eu lembro que sempre que alguém do Brasil me visitava, eu impressionava oferecendo o Farfalla como opção para almoçar e/ou jantar. A minha pedida básica era: pizza erótica (gorgonzola, salsão e nozes) acompanhada de Freixenet (um champanhe ótimo e popular) e para finalizar, panqueca de doce de leite. O total da conta dava sempre 15 euros, ou seja, 7,5 por pessoa :)

Fora isso, eles tem massas e carnes maravilhosas por preços também acessíveis.

O restaurante Farfalla fica na Calle de Sta María, 17, 28014 Madrid, Spain. Há também um menorzinho chamado Il Piccolino della Farfalla na Calle Huertas 6, Madrid.

 

O mapa das tapas

Muita gente nos pergunta mais sobre outras partes da Espanha. E apesar do blog levar Madri no nome, podemos dizer que, modéstia à parte, somos fãs da Espanha geral e fizemos nossos roteiros por muitas cidades.

Outro dia vi esse “mapa das tapas” numa revista e achei super interessante compartilhar, colocando minha opinião.

Afinal de contas, às vezes acho que o blog deveria chamar conexão comilança ;D

PAÍS BASCO
Os bascos curtem pincho (ou pintxo, na grafia local). Também são pequenas porções, mas sobre uma fatia de pão ou para espetar em palitos. Uma bem tradicional é a gilda (com anchovas, azeitonas e pimenta).

Leia aqui nosso post sobre a nossa escapada a Bilbao e San Sebastián.

NAVARRA
Entre os navarros, o molho chilindrón (à base de tomate, pimentão, cebola e alho) predomina à mesa, principalmente com cordeiro ou frango. A truta, pescada nas águas claras das montanhas dos Pirineus, também fazem sucesso.

GALÍCIA
Toda a costa norte da Espanha, voltada para o Atlântico, tem nos peixes e frutos do mar seus principais ingredientes. Um prato da região bastante conhecido no resto do país é o pulpo a la gallega (polvo cozido no ponto perfeito servido com páprica sob cama de batatas).

Leia aqui nossa opinião sobre o melhor restaurante galego em Madri.

ASTÚRIAS
Focada no mar, a culinária da região inclui delícias como os bígaros (o “escargot” regional) e os oricios (como eles chamam os ouriços, cozidos e abertos ao meio).

Astúrias é nossa segunda região mais querida da Espanha. Veja aqui um artigo sobre ela.

CASTILLA-LA MANCHA
A região de Dom Quixote contempla a culinária tradicional. Em Toledo é possível provar carcamusas (guisado com tomate, chorizo e ervilhas). Em Cuenca, zarajos (tripa de cordeiro enrolada e frita). Outro pedido comum são duelos y quebrantos (ovos mexidos com bacon e miolos).


VALÊNCIA
A região da típica paella, cercada de campos de arroz, volta-se para o mar quando as tapas são o assunto. O esgarret (bacalhau com pimentões e alho) é o mais popular, ao lado de clochinas (mexilhões), calamares (lulas) e tellinas (pequeno molusco).

LA RIOJA
Seja para provar uma carne de caça, seja para saborear produtos da horta ou dos ricos pastos, a experiência de tapear por La Rioja é sempre acompanhada dos melhores vinhos. A região foca em ingredientes como alcachofra, espargos, cogumelos, pimentões, acelga, batata e outros vegetais.

CANTÁBRIA
A zona tem uma relação privilegiada com a natureza. Das montanhas vêm dois queijos de sabor forte, o cabrales e o picón. Dos rios, a truta e o salmão. Também vale a pena provar as anchivas cantábricas.

ANDALUZIA
Entre as tapas mais pedidas estão o pescaíto frio (iscas de pescado como lula, camarões e outros frutos do mar), crispin (rolinho de merluza empanado coberto com tomate e maionese), boquerones en vinagre (anchovas marinadas em vinagre, salsa e alho) e adobo (pedaços em peixe frito – em especial, cação – com vinagre, alho, pimentão e especiarias), esse último típico de Sevilha.

Também vale comentar o gazpacho e o salmorejo :)

CANÁRIAS
As distantes ilhas, mais próximas da costa africana, procuram manter a tradição espanhola das tapas. Um exemplo é o sancocho (peixe com batatas, com molho picón e queijo de cabra, próprio da região).

MADRI
É um dos lugares mais perfeitos para ir de bar em bar (aqui nós explicamos esse fenômeno), provando o melhor que o país tem a oferecer. Um clássico local é o sanduíche recheado de lulas à dorê

Clássico clássico mesmo, só o cocido madrileño 

CASTILLA Y LEÓN
Como esta é a principal área de produção de jamón ibérico (presunto cru feito com a perna do porco), é comum encontrar a peça sendo curada em pequenos estabelecimentos por toda a parte. Entre os aperitivos está um mix de embutidos produzidos na região.

MÚRCIA
A agricultura variada ao longo do Rio Segura transformou essa área em grande exportadora de legumes e verduras. Não à toa, ela é chamada de “horta da Europa”. Entre as tapas destacam-se patatas con ajo (batatas ao alho), pimientos asados (pimentões assados), perdices (brotos de alface com diferentes molhos) e mar y tierra (corações de alcachofra com anchovas).

EXTREMADURA
Um prato de bastante saída é o feite (cordeiro frito com alho, limão, cebola e páprica). Já as migas (miolos de pão refogados com ingredientes variados como pimentões fritos, bacon e cogumelos) foi uma invenção dos pastores de ovelhas locais.

CATALUNHA
A cozinha francesa exerce muita influência sobre o cardápio catalão, com a adição de molhos interessantes (como o romesco) e ervas. A zarzuela (ensopado de peixe) lembra a bouilabaisse preparada do outro lado da fronteira. Outro ícone local é o pa amb tomaquet (pão com tomate).

ARAGÃO
Os aragoneses – assim como os navarros – costumam chamar as tapas de alifara, mas o conceito é o mesmo. O ar frio e seco da região é ótimo para defumar presuntos. Muito apreciado, o chorizo ganha um toque de páprica e é servido em rodelas, com pão.

Sai sem avisar

O que confirmou só uma coisa que já estava no meu DNA (ou seria DNI?): sim, eu era a ovelha negra. E entáo foi quando o meu pai (e todo mundo) me disse isso e outras coisas mais, como (porra)louca, inconsequente, e que ainda amava. Náo parei para dizer a ninguém que eram todos uns contraditórios. Que pelo menos se unissem e fizessem um dossiê completo da minha sanidade mental. Náo fizeram. Fecharam o bico e percebi, que quem cala, ama. Recebi constantemente mensagens em código morse por e-mail de ajuda. Embora a ajuda humanitária, em forma de notas de reais, goiabada e páo de queijo, começou a chegar lá pelo 10º mês. Ok. O que importa é o apoio moral. E a moral que uma ovelha negra pode preservar.

Foram coisas muito intensas. Principalmente ao princípio. Fora a busca contínua por princípios e príncipes.

Churros podiam ser porras. E porras náo podiam ser porros. Mas “porra”, a que eu conhecia, só podia ser ¡POJA! No centro náo existem supermercados e os chineses sáo felizes com suas TVs. Em 3% dos estabelecimentos comerciais é possível pagar com cartáo. A siesta é desnecessária. Mas o sofá é irresistível às três da tarde. Náo existe Cândida, nem a palavra “faxina” e passadas três semanas, você se acostuma com isso. Demora só um pouco mais para se acostumar ao cheiro de fritanga e tabaco, mas você se acostuma também a eles. Tenha certeza: tudo nessa vida é adaptaçáo. Náo é preciso olhar para os lados quando se está sozinha as quatro da manhá na rua. Inclusive, bêbada. No metrô, em cada vagáo há uma pessoa que náo dormiu em casa. Malasaña é má no sentido bruxa da palavra. Em seus banheiros, em seus becos, em seus corpos dançantes e ofengantes. Já a Plaza Mayor é arrepiante. É o meu marco zero. O meu porquê. É onde estáo Ottos, os pilotos e Anas-Monas. É onde eu estive muitas vezes, mais do que imagino. É linda de noite, é irradiante de dia, é cinematográfica quando neva. Ai. E quando neva… Quando neva significa que algo muito especial vai acontecer na sua vida. Se Jobim me entendesse, cantaria: “Sáo as neves de janeiro, fechando um capítulo, é promessa de vida no coraçáo”. Isso sim, o frio é muito frio. E o calor é muito calor. Mas sempre haverá “rebajas” em Bershka. E o nariz também sempre sangrará, assim como as dores sangraráo mais. Mas verdade seja dita: estancam muito mais rápido também. Faça eles acreditarem que têm “temazos” e “reality shows” de “puta madre”. Ah, mas náo faça más referências a pronúncia inglesa deles. Diga roliuf (holiwood) e assista Muchacha Nui. Ou melhor, vá para a rua e náo diga nada. O melhor está na rua. A vida é “callejera”.

Você pode ter um amor aqui. Mas ele vai ser um amor cosmopolitanamente morno. Como as coisas congeladas da marca Sirena. Como as marcas brancas do Dia. Como as roupas que todos têm igual da H&M. As paixóes sáo sevilhanas e brasileiras. Sáo salsa brava. Mas estáo em falta, no momento, ¡disculpen las molestias!

Senti saudade da doçura da cana de açúcar do meu povo. Mas talvez eu azedasse o pote. Náo era táo doce assim. Sou um pouco regaliz. Doce mas desses difíceis de engolir, pegajosos, com um toque de amargura e com um gosto impossível de esquecer. Forte pra urso. Até para urso madroño engolir.

Náo senti saudade de muitas coisas (vide foto) e senti culpa por isso. Aqui eu confesso: pequei.

Conheci gente falsa como as moedas de três euros e gente maravilhosa como o céu dessa cidade.

Aliás, quando náo quero pensar em mim, nem em Carmens e Nachos, nem na “pasta” que náo tenho, nem nos descontos de Iberia, TAM, AirFrance que náo existem, nem no que meu pai está cozinhando agora, nem na tristeza da gente – daqui e daí e de muitos outros lados, eu olho pro alto e penso: joooo, como posso ter bem em cima da minha cabeça o céu mais lindo que eu já vi?

E concluo que, por mais nuvens negras que existam, coisas mais bonitas estáo acima delas e me sinto infinitamentente SORTUDA, assim, sem traduçáo.

Muchas gracias, M. Eu te amo e sempre vou te amar por tudo o que você fez por mim. Y “eu te amo” no es “te quiero. Ten en cuenta…

M.

escrito em 25 março 2009

Cursos de Culinária e Gastronomia em Madri

Algumas vezes, recebemos emails e mensagens de gente interessada em estudar em Madri. Alguns vão direto ao assunto e comentam que não tem nada pensado e outros, diretamente dizem de estudar espanhol e gastronomia. Acho a dúvida normal, afinal, a culinária espanhola é mundialmente reconhecida. Eu sempre sugiro: se tem pouco tempo e um bom nível de espanhol, faça um curso criativo e curto de culinária ou gastronomia.

Nesse post, comentamos 2 escolas que tem cursos interessantes!

kitchen_club

Kitchen Clubé o mais cool da lista! Fica próximo ao metrô Gran Via e conta com uma estrutura super moderna. Tem cursos variados, desde os trendies como cozinha molecular e criativa até as opções locais como cozinha vasca, pintxos, arrozes (paellas) e cozinha mediterrânea. Também fazem “cooking parties”, informe-se.

Imagen-1

La Magdalena de Proust - já falamos dessa fofura por aqui. Além de cafeteria, loja e quitanda, esse espaço eco-friendly abre as portas para quem quer aprender a cozinha ecológica, saudável e de misturas. Dentre os cursos estão o de pães (clássico, já que o local tem um dos melhores pães da cidade), cozinha vegetariana, indiana, macrobiótica, etc. Veja também nossa opinião sobre a comida de lá.

 

El Huerto de Lucas

El Huerto de Lucas é uma proposta completa para quem preza a boa comida ecológica e orgânica.
Em um espaço de 450m2, arejado e cheio de verde, você encontra várias opções para comer e beber no local ou em casa. Há uma frutaria, um açougue, uma sorveteria, um café, um espaço de sucos e a cantina, que provamos e contamos aqui.

Decidimos provar o almoço da Cantina do Huerto de Lucas. Como todo mundo passava com um sucão na mão, pedimos pela carta de sucos, mas nos disseram que teria que pedir na barraquinha dos sucos. E escolhemos lá um mojito de laranja – com rum orgânico e tudo! – e um detox de blueberry com água de coco e limão. O que era para ser doce saiu um pouco salgado (12 euros ambos), mas mesmo assim, valeu a pena.

Com as bebidas na mão, partimos às escolhas dos pratos. De entrada, uma frittata impressionantemente granjeira: ovos orgânicos, com portobelos, pimentão, cebola, tomates e gergelim. Para embalar, um hamburguer (não somos veggies, sorry!) de carne livre de hormônios, MARAVILHOSO e um magret de pato. Conclusão, tudo muito bem servido, cuidado e delicioso. Vale lembrar que o preço do pato, por exemplo, não estava na carta e nos surpreendemos um pouquinho com ele (16 euros – uma porção modesta).

€€

foto 3

Mojito de laranja

foto 4

Suco de blueberries detox

foto 5(1)

Frittata de cogumelos e verduras

foto 5

Hamburguer
foto 2

Magret de pato

foto 4(1)

Quitandinha: você também pode levar tudo para casa

Calle San Lucas, 13

Os apps para conhecer Madri

Se você procura aplicativos que te ajudem a conhecer a cidade, não deixe de fuçar nessa idéias usadas por locais.

Metro de Madri: Esse aplicativo te ajuda a andar de metrô e te indica a forma mais curta e com menos estações para chegar ao seu destino.

  • 11870: Um aplicativo sensacional que dependendo da sua geolocalização encontra os melhores bares, restaurantes, lojas e cafeterias.

  • Official Madrid Guide: Elaborada pela Secretaria de Turismo, esse aplicativo dá informações gerais para o turista e também, assim como o 11870, indica as melhores atrações com relaçáo a geolocalização do usuário.

EMT: Se prefere andar de ônibus e aproveitar a visão da cidade, esse app te ajuda a encontrar os pontos, as linhas e saber a que horas vai passar o próximo.

  • Iberia: O aplicativo da Iberia – e também o seu site – foram reformulados e estão bem legais. Você pode gerenciar suas passagens e também consultar passagens nacionais e internacionais.

  • P&B: Gostou de uma roupa da marca Pull&Bear e quer comprar online? Ótimo, o app deles funciona bem e você pode utilizar para compra e consulta.

  • Bershka: O mesmo que o aplicativo da P&B, você pode comprar as novidades via celular.

  • Zara: Essa loja que é sucesso global também tem um app de novidades, compra e reserva para o seu celular.

  • Museo del Prado: Antes de se aventurar pelo Museu do Prado, baixe esse app que te alerta do que você não pode deixar de ver por lá.

  • Ticketea: Para reservar e comprar sua entrada para shows, teatros e festivais.

  • Entradas.com: Parecido com o Ticketea, mas com oferta mais ampla, esse app te permite comprar entradas para eventos esportivos, cinema, musicais, parques, exposições e muito mais.

  • Hailo: Com esse aplicativo você nunca fica sem táxi e, além disso, pode pagar com o cartão de crédito (coisa náo muito comum por Madri).

  • Justeat: Bateu fome, está cansado ou não sabe onde ir? Peça comida online através desse app mais usado pelos madrilenhos.

  • Minube: O aplicativo que permite que cada visitante dê a opinião sobre os pontos turísticos é febre na Espanha e dá as avaliações mais populares. Também contam com o seu próprio guia de Madri.

Tourist eye – Madri: Ele permite traçar um plano de passeio. Com os mapas offline, você não precisará de internet.

Madrid Offline Map: Mapa offline para usar pela cidade.

Todos os apps são grátis (exceto o último que vale apenas 1dólar) e estão disponíveis para Android e iPhone.

 

A capital espanhola é mais que um cenário de Almodóvar. Fuja dos tópicos turísticos como visitar só o Corte Inglés e o estádio do Real Madrid, Santiago Bernabeu, porque Madri é mais que tudo isso: é uma cosmopolita com sede de festa e boa vida. Confira as dicas do blog para não cair no erro do típico turista.
PUBLICIDADE
Siga a gente no Twitter
ARQUIVO
Estamos no Bloglovin
Follow on Bloglovin
%d bloggers like this: